O MISTÉRIO DA PALAVRA

Faz parte do ofício. Ando pelas ruas em busca do detalhe que escapa por ordinário. Comumente desprezado, embora inserido à…

COMO EU ESCREVO

  O ato da criação é pessoal, intransferível. Não há receita, apenas exemplos de pessoas que trabalham parecido, nunca igual.…

CONTOS EM GOTAS

Contos em gotas, por Marcelino Freire, o texto de apresentação do livro. Talvez fosse melhor começar citando um dos minicontos do Caco,…

A CAMINHO DE CANUDOS

Imprensa, ciência e arte têm um algoz em comum. São os três maiores alvos do populismo autoritário que se espalha…

DEZmiolados, volume 3

O editor me procurou para que eu fizesse o prefácio desta coletânea com dez autores que eu já conhecia de…

O PONTO DE VISTA

Reflexão que surge em boa hora. Quando a Teoria da Literatura explica a realidade. Do professor Dino del Pino, na…

MEDIANEIRO

De repente o poeta no uivo de cão vadio. Vira-latas sem métrica ou rima, desses que escrevem em prosa cadenciada.…

A HIPÓTESE DO TROLOLÓ

O autor não copia o mundo. Ele o conhece, retira as imagens de que precisa e cria outra realidade, designada…

CHUTA QUE É MACUMBA

Critico sacrifícios em rituais religiosos, mas acho normal o sofrimento de cobaias. A ciência maltrata com outorga. Em nome da…

DO ROMANCE EM CONSTRUÇÃO

“Alta madrugada, terminados o sarau, desafios nos jogos de tabuleiro, rodas de carteado, cachimbadas ou aspiradas de rapé, alguns irão…

FATAIS

A MESMA LUA Engraçado. Olhando a lua daqui, todo mês de dezembro, ano após ano, sempre lembro da noite em…

AURORA QUE SURGE

O frio é quente. Escuro reluz. Entrada oficial é pelo esgoto. Vais encarar? Fui aluno do Grupo Escolar José de…

JOEL

Ainda era noite quando saiu de casa. O vento soprava forte, desorientando a chuva que caía fraca, fininha. Precisava pedalar…

À SOMBRA NO DESERTO

Estive na praia, a areia endurecida por chuva recente. Junto à foz do rio Tramandaí, galguei as dunas e sentei…

DOCUMENTO HISTÓRICO

1998 – O ano que nunca termina Do meu arquivo pessoal, aqui um documento histórico de punho próprio. Divulgo após…

IRMÃOS GÊMEOS – 1992

IRMÃOS GÊMEOS (CONTEXTO HISTÓRICO) Do texto que segue, o ano era 1991. Eu me inscrevi na seleção de candidatos para…

CARTAS DE AMOR E MISTÉRIO

SANT’ANA Dos amores improváveis, ainda não impossíveis, foste a mais paciente no compasso da eternidade. Permita que inicie o arrazoado…

NARRATIVAS LONGAS

Entrevista concedida a Luísa Tessuto, da Metamorfose Cursos, aonde ministrei a oficina “Pesquisa para narrativa longa” 1- Todo romance precisa…

TiNTIM por TINTiM

Personagens ressurgem, histórias de outros tempos ganham novos contornos. Assimilo esse material bruto e o processo na criatividade do artista,…

FOI ASSIM

Eu vinha pela rua e cruzei esse camarada que não topava faz muito tempo, nem sei o quanto, mas bota…

CACOS

Antes do EXU LITERATO, mantive até agosto de 2005 o blog intitulado “CACOS – O ofício solitário do autor desconhecido”.…

UM AMIGO

Vinha distraído na calçada e reconheceu a voz do passado que gritou seu nome pela janela do carona num automóvel…

PROFISSÕES DO FUTURO

Em que mundo os nossos filhos viverão daqui a trinta anos? Penso a respeito e considero a velocidade dos avanços…

RIO 40°

Faz quatorze anos. O Rio de Janeiro também vivia a efervescência, mas era ebulição literária. Bom momento noutros estados também.…

DISSOLVE E AGLUTINA

Na busca que empreendi, a história que passo a narrar se inicia pelo avesso. Retrocedi longos anos para entender o…

Sobre LAMBUJA

O tempo, o cenário e duas obras que conversam Por Luiz Paulo Faccioli, escritor Os suíços tinham a fama de…

CURURU

Releio o primeiro tomo da obra “Em busca do tempo perdido” para reencontrar um Proust abastado, criança frágil, paparicada na…

UM AUTÓGRAFO PORTALUPPI

Situações inacreditáveis, desprovidas de sentido e repletas de significância ao mesmo tempo. Profundidade filosófica. Algumas das mais interessantes eu coleciono…

CANIL DOS ROTTWEILER

Domingo o patriarca saiu de casa para o tradicional almoço em família. Lasanha na residência da caçula e a companheira.…

MUDINHO

Sábado à tarde no trabalho. Os últimos arranjos antes de retornar para casa. Domingo e segunda-feira livres. Pernoite no serviço…

A BOA ANGÚSTIA

Em 2004 desengavetei escritos e abordei, tardiamente, a barca dos “novos autores” que povoaram a internet brasileira em meados do…

ENTRUDO

Feriadão de Momo. Eleutério Antônio perdeu a chance de ir ao camarote na Sapucaí. Nunca apreciou a arte popular, jamais…

A LÍNGUA EM FORMA DE U

Sujeitinho fabricado em linha de montagem. Barba e bigode do século das luzes apagadas. Coque samurai haraquiri.

O PILOTO ANÔNIMO

Diário de bordo. Unidade exploratória 21071972 0530, designação: paralelo 30. Motivo do informe: dano estrutural no veículo orgânico. Diagnóstico: sobrecarga…

A MOSCA NO COCÔ DO CAVALO

Constatei outro dia. Quando falamos em vidas passadas, não aparece ninguém para cumprir o necessário papel de coadjuvante. “Fiz regressão…

O COELHO É MAU

João Emilio surpreendeu a todos. Aconteceu num descuido da babá, que teria ido fazer não sei o quê no banheiro.…

SE FOR DE PAZ, PODE ENTRAR

A internet é um veículo sem precedentes, considerando as possibilidades de alcance da mensagem. O jornal impresso, por exemplo, possui…

ECOA NA ETERNIDADE

O que fazemos hoje, como pensamos e vivemos, reverbera para além do tempo e do espaço. Eis aqui um ensinamento…

DEZEMBRO

Conto inédito, escrito em maio de 2004. Eu sei porque voltei. Foi por causa daquela tristeza sazonal, misto de solidão…

DESATINO

Por Chivona La Huevona* Acho que vou direto tomar umas geladas. Ah não! Que mulherzinha cagona. Trancou a porta embaixo…